Quando Cai o Raio é o primeiro livro da série Desaparecidos, é um relato escrito pela personagem Jéssica sobre o que aconteceu. Jéssica é uma garota normal; tem 2 irmãos, uma melhor amiga e vive em confusão, por isso seu período após aula sempre é preenchido com detenção. Um dia, após cumprir o horário e querer ir pra casa, sua amiga Ruth propõe pra elas irem embora a pé, mesmo vendo que há uma tempestade se aproximando. No caminho, começava a chover e cair muitos raios e as duas se abrigam debaixo da arquibancada (que por sinal era de metal, óh a ideia) e Jéssica é atingida por um raio.
Aparentemente nada muda, mas ai que começa a confusão. Elas vão para casa, Ruth morrendo de preocupação mas Jéssica não sentia nada, a não ser começar sonhar a localização de pessoas desaparecidas. E é isso, de uma garota normal que vivia de detenção em um dia, e em outro uma paranormal.


Título: Quando Cai o Raio
Editora: Galera Record
Autor(a): Meg Cabot
Páginas: 272
Gênero: Ficção Estrangeira
Ano: 2011
Nota: 




Como eu descobri esse livro? Estava louca pra ler algo da Meg Cabot que não envolvia princesas. E lendo a sinopse percebi que a personagem principal tem o mesmo nome que o meu (na verdade, ela tem até a mesma altura que a minha kkkk, achei super legal) e fiquei curiosa com a história.

Não me decepcionei, o livro nutriu minhas expectativas. Meg Cabot como sempre, escreve maravilhosamente bem; você ri, se diverte e quando vê já acabou de ler. Não é aquele tipo de livro que se aprofunda nos personagens, é um livro que te apresenta as pessoas, sua trama e te envolve naquele momento presente. Gostei demais, por isso mereceu as 5 estrelinhas, pretendo em breve ler a continuação.

 Espero que tenham gostado, bjs :) Jess

 
" Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá.
O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos... Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado... Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. "

Deixe um comentário